Atletas: pensem em proteger a vossa flora oral!

Actu GP : Athlètes, pensez à protéger votre flore buccale !

Os atletas de alta competição estão mais vulneráveis a cáries e doenças gengivais (gengivites), placa dentária, doenças dentárias crónicas... A sua saúde oral é mais frágil? Um estudo da microbiota oral de jogadores profissionais de râguebi, por uma equipa francesa, parece confirmá-lo.

 

Após algumas observações feitas nas Olimpíadas de Londres em 2012, considerou-se que os atletas (homens e mulheres) têm uma má higiene oral. De acordo com os investigadores, as razões por detrás desta falha nos jogadores de râguebi são: usarem proteções bocais, a alimentação e higiene oral, mas também o impacto de atividades físicas extenuantes no organismo e repetidos traumas faciais dos desportos de contato. Tudo isto tem impacto nas 450 espécies bacterianas que estão presentes na boca de um adulto.

Microrganismos maltratados

Durante 4 meses, amostras bacterianas (dentes, gengivas, saliva) foram recolhidas de 24 jogadores de râguebi profissional e foi observado um desequilíbrio da sua flora oral (chamado disbiose), em particular um decréscimo na diversidade bacteriana oral e uma composição bacteriana diferente em comparação com a população em geral. Tal como acontece com outros atletas, existem muitas causas possíveis: alteração na saliva (fluxo e acidez), frequência da ingestão de alimentos, consumo de bebidas energéticas e, especialmente, aumento do consumo de açúcar, cuja assimilação, impacta na flora oral entre outras implicações. Aliado a uma má higiene, tudo isto debilita a população microbiana e promove a colonização oral por Streptococcus, um grupo bacteriano que inclui algumas espécies que são as principais responsáveis pela formação de cáries.

Defesas Imunológicas baixas

Isto não é tudo, atividade física extenuante e repetida, debilita a saúde cardiovascular e impacta negativamente as células imunitárias protetoras, deixando uma «janela aberta» para o início e desenvolvimento do processo inflamatório. Os cientistas acreditam que «um rastreio dentário de rotina mais rigoroso deve ser incluído na gestão da saúde dos atletas», e concluem que «como a análise da saliva não é invasiva, é um bom indicador de saúde oral em atletas de alta competição e a modulação do pH salivar com pre ou probióticos pode ser parte de estratégias futuras».

 

*Open window en Anglais

 

Fontes :

Minty M et al.  Oral health and microbiota status in professional rugby players: A case-control study. J Dent. 2018 Oct 4