A dieta mediterrânea protege os idosos contra a fragilidade?

Os efeitos benéficos da dieta mediterrânea sobre a microbiota intestinal é considerada a melhor defesa contra a síndrome da fragilidade relacionada com a idade.

 

O envelhecimento está associado à deterioração de inúmeras funções corporais e à inflamação generalizada, que contribuem para a síndrome da fragilidade* entre os idosos. Pensa-se que este tipo de alimentação tenha um papel importante nesse processo, uma vez que a falta de variedade leva a alterações na microbiota intestinal que pode levar a um aumento do risco de fragilidade. Por outro lado, é possível que uma dieta equilibrada contribua para manter ou restaurar a flora bacteriana e ajudar a combater a fragilidade. Um grupo de investigadores procurou descobrir se é esse o caso, concentrando-se especificamente na dieta mediterrânea**.

Bactérias “boas” associadas ao envelhecimento “bom”

De acordo com vários estudos, a dieta mediterrânea é a mais saudável e oferece muitos benefícios, incluindo a redução da inflamação, da doença e da mortalidade. Está também associada a alterações na microbiota intestinal. Os cientistas analisaram a microbiota intestinal de aproximadamente 600 indivíduos com idades entre 65 e 79 anos, com poucos ou nenhum sinal de fragilidade. Durante um ano, os participantes seguiram uma dieta normal ou mediterrânea por um ano, tendo sido feitas avaliações antes e no fim de cada regime alimentar. Os investigadores concluíram que a microbiota dos participantes que seguiram uma dieta mediterrânea permaneceu diversificada (o que se associa a uma boa saúde), tendo aumentado o número de bactérias "boas" (associadas à diminuição da fragilidade, melhoria da função cerebral e redução da inflamação). Foi também observado, a melhoria da memória, aumento da velocidade da passada e da força nas mãos dos participantes deste grupo.

Bactérias que protegem contra a fragilidade?

Estes resultados confirmam os benefícios da dieta mediterrânea nos idosos e revelam que parte desses benefícios está diretamente relacionada com alterações na microbiota intestinal. Estas descobertas abrem, por isso, novos caminhos para a prevenção da fragilidade entre as pessoas em risco, com base na administração direta das bactérias “boas” agora identificadas.

 

* A síndrome da fragilidade é diagnosticada com base em três dos seguintes cinco critérios: estilo de vida sedentário, perda de peso recente, exaustão ou fadiga, diminuição da força muscular e ritmo lento de caminhada. Envolve um risco de declínio funcional, institucionalização e morte (Academia Nacional Francesa de Medicina, 2013). http://www.academie-medecine.fr/wp-content/uploads/2014/10/tap-pages-1009-1020.pdf

** Rica em frutas, vegetais, cereais, oleaginosas (nozes) e peixe, e com baixo teor de carne vermelha, gorduras saturadas e laticínios.

 

Fontes:

Ghosh TS, Rampelli S, Jeffery IB, et al. Mediterranean diet intervention alters the gut microbiome in older people reducing frailty and improving health status: the NU-AGE 1-year dietary intervention across five European countries. Gut 2020;0:1–11. doi:10.1136/gutjnl-2019-319654