Imunoterapia: a sua eficácia depende da microbiota

Immunothérapie

Dos doentes com melanoma metastático em tratamento com ipilimumab, apenas alguns respondem favoravelmente a esse tratamento, que funciona por ativação do sistema imunitário. Alguns também sofrem com os seus efeitos secundários, em particular com enterocolite, cujos sintomas são semelhantes aos das doenças inflamatórias intestinais crónicas, em que a microbiota desempenha um papel importante. Para compreender essas diferenças na resposta ao tratamento, investigadores franceses, cujos estudos foram publicados em Annals of Oncology, analisaram a microbiota intestinal de 26 doentes.

Os resultados sugeriram que os doentes que hospedavam na maioria bactérias Faecalibacterium respondiam melhor ao tratamento do que aqueles com uma microbiota rica em Bacteroides.

Esta é uma descoberta que, no futuro, poderá possibilitar a identificação de doentes que provavelmente irão beneficiar do ipilimumab e é um passo importante no conceito de terapia personalizada através da modulação da microbiota por meio da administração de probióticos ou prebióticos ou transplante fecal.

 

Fontes:

N. Chaput et al. Baseline gut microbiota predicts clinical response and colitis in metastatic melanoma patients treated with ipilimumab. Annals of Oncology, 27 mars 2017 https://doi.org/10.1093/annonc/mdx108