Poderemos em breve prever o nosso risco de obesidade com um simples teste de urina?

Actu GP microbiote prédictif et obésité

Pode ser possível prever o nosso risco de obesidade ou diabetes a partir dos metabolitos urinários na nossa microbiota intestinal, o que poderia eventualmente levar a dietas individualizadas.

 

Nem todos reagem da mesma forma quando fazem dieta. A obesidade e a diabetes, que estão fortemente ligadas às interações entre os nossos genes e o meio ambiente, também dependem da nossa microbiota intestinal, a qual é afetada pelo que comemos. Investigadores analisaram os metabolitos urinários de cobaias com vista a compreender melhor o papel que as bactérias desempenham no desenvolvimento destes distúrbios. Determinaram um perfil metabólico microbiano específico para cada cobaia. Posteriormente, restringiram as cobaias a uma dieta rica em gordura e observaram os efeitos. Nem todos as cobaias reagiram da mesma forma: enquanto alguns deles continuaram magros, outros passaram a obesos e/ou menos tolerantes à glicose – dois sinais precoces da diabetes.

Do seu perfil metabólico microbiano, os investigadores descobriram que certos componentes, especificamente o TMAO (N-óxido de trimetilamina), lhes permitiam prever como iriam as cobaias reagir à mudança na dieta. Como resultado, também poderiam deduzir que a forma como beneficiamos das propriedades nutricionais dos alimentos não é apenas determinada pelos nossos genes, mas também pela nossa microbiota intestinal. Esta descoberta abre muitas portas em termos de nutrição personalizada: um dia, talvez, um simples exame de urina ou de sangue permitir-nos-á escolher a dieta mais adequada para cada indivíduo.

 

Fontes
Dumas M. et al. Microbial-Host Co-metabolites Are Prodromal Markers Predicting Phenotypic Heterogeneity in Behavior, Obesity, and Impaired Glucose Tolerance. Cell Reports, vol. 20, Issue 1, p136-148, 5 July 2017.