Acesso a
profissionais
Público

Dislipidemias

Frequentes na população geral, as dislipidemias aumentam consideravelmente o risco cardiovascular. O seu diagnóstico é essencial e a modulação da microbiota intestinal poderia enriquecer o arsenal terapêutico à disposição dos médicos.


Cerca de 40% dos adultos estão preocupados


As dislipidemias, hipercolesterolemias, hipertrigliceridemias e a dislipidemia fixa representam um fator de risco de aterosclerose importante e de complicações cardiovasculares que daí resultam1. De acordo com a OMS, 40% da população mundial apresenta um colesterol total ≥ 5.0 mmol/l; será cause de um terço dos acidentes isquémicos do miocárdio e provocarão cerca de 4,5% de todas as mortes do mundo2.


Vários fatores de risco e a microbiota intestinal em causa

Atualmente admite-se que a microbiota intestinal está implicada no metabolismo do hospedeiro e que fatores ambientais (medicamentos, maus hábitos de higiene...) e genéticos modularão a sua composição. Certos grupos bacterianos agirão sobre o metabolismo lipídico3 produzindo moléculas que têm impacto no transporte do colesterol, no metabolismo dos lípidos hepáticos, no dispêndio energético ou até na sensibilidade à insulina. A ligação entre o desequilíbrio da microbiota e as dislipidemias foi confirmada em roedores onde a suscetibilidade à aterosclerose foi transmitida de um animal obeso a um animal saudável por transplantação fecal3.

Gestão

A gestão das dislipidemias baseia-se em medidas dietéticas e na prescrição de medicamentos hipolipemiantes, como as Estatinas. A modificação da microbiota intestinal também consiste numa alternativa interessante4,5. Estudos em camundongos demonstraram que a administração de Akkermansia muciniphila a um animal obeso melhorou significativamente seu perfil lipídico6. Nos seres humanos, a presença desta bactéria também está associada a um melhor estado metabólico (redução do colesterol total e do LDL) após uma dieta hipocalórica.6,7

Referências : 

1. HAS, Février 2017. Principales dyslipidémies : stratégies de prise en charge
2. OMS, Raised cholesterol http://www.who.int/gho/ncd/risk_factors/cholesterol_text/en/
3. Gregory JC et al. Transmission of atherosclerosis susceptibility with gut microbial transplantation. J. Biol. Chem. 2015;290:5647–5660
4. Chen D et al. The effect of Lactobacillus rhamnosus hsryfm 1301 on the intestinal microbiota of a hyperlipidemic rat model. BMC Complement Altern Med. 2014 Oct 10;14:386 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25300818
5. Martínez I et al. Diet-induced metabolic improvements in a hamster model of hypercholesterolemia are strongly linked to alterations of the gut microbiota. Appl Environ Microbiol. 2009;75:4175-84.
6. Dao MC, Everard A, Aron-Wisnewsky J, et al. Akkermansia muciniphila and improved metabolic health during a dietary intervention in obesity: relationship with gut microbiome richness and ecology. Gut 2016; 65: 426-36.
7. Org E et al. Genetic and environmental control of host-gut microbiota interactions. Genome Res. 2015;25:1558–1569.


 

Patologias

  • Desnutrição infantil

    A desnutrição infantil não se deve apenas a um déficit ou excesso de ingestão alimentar. A microbiota intestinal tamb...

    Voir
  • Obesidade

    Vários estudos demonstraram a relação entre a microbiota e a obesidade. Uma alimentação desequilibrada e uma composição ...
    Voir
  • Nutrição entérica

    A nutrição entérica está associada a uma disbiose da microbiota que provoca frequentemente diarreias. Os probióticos dem...
    Voir
  • Diabetes

    A diabetes tipo 2 não para de progredir no mundo e as medidas de prevenção higieno-dietéticas são insuficientes. Modular...
    Voir
  • Síndrome metabólica

    A presença de fatores de risco cardiovasculares e metabólicos, como glicemia e colesterol elevados, hipertensão, ... é i...
    Voir
  • Doenças do fígado

    Doenças do fígado. À luz da estreita relação entre o fígado e o trato intestinal. 

    Voir
Biocodex Microbiota Institute

Biocodex Microbiota Institute: um lider internacional em Microbiota

Voir