Acesso a
profissionais
Público

Microbiota vaginal

A microbiota vaginal é um ecossistema constituído por microrganismos, em que predomina o género Lactobacillus. O seu equilíbrio é frágil e mudanças na sua composição causam infeções.

A microbiota vaginal, também conhecida como flora de Döderlein, tem sido descrita desde 1894. É um ecossistema muito complexo em equilíbrio dinâmico. A sua composição varia muito de uma pessoa para outra.1,2

O género predominante é o Lactobacillus, que produz ácido lático, permitindo manter um pH entre 3,8 e 4,4 em condições normais. Esse pH ácido cria um ambiente hostil para a proliferação de agentes patogénicos oportunistas.3-5 A microbiota vaginal é um fator chave na proteção do hospedeiro contra vários agentes patogénicos bacterianos, fúngicos ou virais. Também desempenha um papel essencial na colonização inicial de recém-nascidos, com consequências para o sistema imunitário e desenvolvimento neurológico.6 As espécies mais comumente encontradas são L. crispatus, L. iners, L. jensenii e L. gasseri. Elas oferecem propriedades antibacterianas, produzem biofilmes e promovem os mecanismos imunitários que protegem as membranas mucosas da vagina.7

Além dos microrganismos acima mencionados, foram descritas quase 250 espécies bacterianas, particularmente espécies anaeróbias como Prevotella, Gardnerella vaginalis e Atopobium vaginae, mas também Escherichia coli e a levedura Candida albicans.8 A sua natureza e concentração variam com base no pool genético, grupo étnico, fatores de medicação (antibióticos), ambiente e comportamento (atividade sexual, higiene pessoal, etc.), e também são influenciados pela flora oral e intestinal.9
A microbiota vaginal muda ao longo da vida (hormonas sexuais, menstruação, gravidez, menopausa, etc.) e estes fatores influenciam a composição desse ecossistema.10

Embora varie de mulher para mulher, a microbiota vaginal deve manter um certo equilíbrio para preservar a saúde do trato reprodutivo.4 Várias doenças ginecológicas podem resultar de, ou ser promovidas por um desequilíbrio da microbiota vaginal (disbiose), em particular a vaginose bacteriana (A. vaginae, Clostridiales e G. vaginalis) e vulvovaginite por Candida. A administração tópica ou oral de probióticos parece promover um equilíbrio nesta microbiota, e pode reduzir os sintomas no caso de infeção vaginal, bem como a probabilidade de recorrência.

Fontes
1.    Hummelen, R. et al. Vaginal microbiome and epithelial gene array in post-menopausal women with moderate to severe dryness. PloS One 6, e26602 (2011).
2.    Albert, A. Y. K. et al. A Study of the Vaginal Microbiome in Healthy Canadian Women Utilizing cpn60-Based Molecular Profiling Reveals Distinct Gardnerella Subgroup Community State Types. PloS One 10, e0135620 (2015)
3.    Tomusiak, A. et al. Efficacy and safety of a vaginal medicinal product containing three strains of probiotic bacteria: a multicenter, randomized, double-blind, and placebo-controlled trial. Drug Des. Devel. Ther. 9, 5345–5354 (2015). https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26451088
4.    Mizock, B. A. Probiotics. Dis Mon. 2015 ;61:259-90 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25921792
5.    Romero, R. et al. The composition and stability of the vaginal microbiota of normal pregnant women is different from that of non-pregnant women. Microbiome 2014; 2, 4
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24484853
6.    Dominguez-Bello, M.G.et al., Delivery mode shapes the acquisition and structure of the initial microbiota across multiple body habitats in newborns. Proc. Natl. Acad. Sci. U.S.A. 2010; 107: 11971– 11975
7.    A. Schwiertz (Ed). Microbiota of the Human Body. Advances in Experimental Medicine and Biology 2016; 902: 83-93 http://link.springer.com/book/10.1007%2F978-3-319-31248-4
8.    Li J et al. Importance of vaginal microbes in Reproductive health. Reprod Sci 2012; 19:235-242 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22383775
9.    Pretrocevic L et al. Characterisation of the oral, vaginal and rectal Lactobacillus flora in healthy pregnant and postmenopausal women. Eur J Gynecol Reprod Biol 2012; 160:93-99. 
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22088236
10.    Petrova, M. I. et al. Lactobacillus species as biomarkers and agents that can promote various aspects of vaginal health. Front. Physiol 2015;. 6: 81 

 

Patologias

A disbiose pode causar várias doenças com impacto em diferentes orgãos.

Modular a microbiota

Uma modulação da microbiota para um reequilíbrio é possível. Existem 3 processos no presente.

  • Probióticos

    A OMS define probióticos como “microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem um benefício à saúde do hospedeiro”.
    Voir
  • Prebióticos

    Os prebióticos são substratos que promovem o crescimento de bactérias. São, portanto, essenciais para o equilíbrio da microbiota.
    Voir
  • Modulação nutricional

    A composição da microbiota intestinal varia de acordo com o alimento ingerido, com consequências para o metabolismo geral.
    Voir

As várias microbiotas

Microbiota intestinal

A microbiota intestinal é um órgão por si só.
Graças à metagenómica está melhor caracterizada e conta-nos gradualmente os seus segredos. Sendo altamente diversificada, vive em estreito relacionamento com o seu hospedeiro. Formada desde o nascimento, é específica de cada indivíduo e cumpre diferentes funções dentro do corpo: efeito barreira, funções tróficas, metabólicas e imunitárias, etc., além de outras que ainda têm de ser esclarecidas.

Voir

Microbiota vaginal

A microbiota vaginal é um ecossistema constituído por microrganismos, em que predomina o género Lactobacillus. O seu equilíbrio é frágil e mudanças na sua composição causam infeções.

Voir

Microbiota ORL

A microbiota ORL é uma microbiota extremamente diversificada, que se assume incluir pelo menos 700 espécies diferentes.

Voir

Microbiota Cutânea

A microbiota cutânea é extremamente diversificada. A sua composição varia de acordo com a zona cutânea e entre indivíduos, e seu desequilíbrio está associado a doenças de pele.

Voir

Microbiota Pulmonar

A microbiota pulmonar foi desconhecida durante muito tempo, já que era comumente aceite que os pulmões saudáveis eram estéreis. Este paradigma foi posto em dúvida com a descoberta dos vários tipos de microbiota humana.

Voir

Microbiota Urinária

A microbiota urinária foi descoberta muito recentemente e só agora começou a ser descrita. Desequilíbrios nesta flora podem estar associados a problemas no trato urinário.

Voir
Biocodex Microbiota Institute

Biocodex Microbiota Institute: um lider internacional em Microbiota

Voir