Exercício e microbiota: uma questão de equilíbrio

Actu GP : Sport et microbiote : une question d’équilibre !

Está tendo problemas para se exercitar em confinamento? Com a flexibilização das medidas, chega de desculpas: é hora de voltar ao assunto! Porém, tenha cuidado: assim como um estilo de vida sedentário, muita atividade física pode perturbar a microbiota intestinal e prejudicar seus músculos.

 

Numerosos estudos têm demonstrado que, além de outros benefícios, o exercício físico moderado e regular aumenta a diversidade entre as bactérias do intestino, favorecendo espécies benéficas. No entanto, esse é apenas o caso para exercícios regulares, já que a interrupção de todas as atividades pode levar a um desequilíbrio na microbiota intestinal (disbiose).

Evite exercícios excessivos

A situação oposta também tem seus perigos. Quer você seja um amador ou um profissional, treinar de forma muito intensa ou desproporcional ao seu nível pode levar a uma disbiose, que pode ser tanto mais repentina e aguda quanto mais intensa for a atividade. Essas disbioses podem resultar no aumento da permeabilidade intestinal, que, ao permitir que as bactérias e seus componentes passem para a corrente sanguínea, pode levar a uma inflamação no corpo. Podendo também causar dores abdominais, náuseas e diarreia em algumas pessoas durante esforços extremos.

Um eixo intestinal-músculo?

A hipótese mais provável é que os músculos e as bactérias intestinais comuniquem através do eixo intestino-músculo. Essa comunicação é pensada para funcionar nos dois sentidos: a microbiota intestinal influencia a saúde muscular e o exercício físico modula a composição da microbiota. Em humanos, embora apoiada pela ligação entre disbioses intestinais e várias alterações metabólicas relacionadas aos músculos (síntese de proteínas, liberação de moléculas que promovem o desenvolvimento muscular, etc.), essa hipótese permanece provisória.

O sistema imunológico: na encruzilhada do eixo intestino-músculo?

Moldado pelas bactérias intestinais, o sistema imunológico também pode desempenhar um papel fundamental na saúde muscular. Ao ajudar a construir um sistema imunológico forte, uma microbiota intestinal « saudável » pode influenciar o eixo músculo-intestino e a saúde de nossos músculos, especialmente entre pessoas com um estilo de vida ativo. Por outro lado, uma disbiose causada por uma interação negativa com o sistema imunológico pode promover distúrbios musculares. Essa é mais uma hipótese que precisa ser verificada se quisermos finalmente entender a relação entre exercício, sistema imunológico, microbiota intestinal e saúde muscular.

 

Sources : 

Ticinesi A., Lauretani F., Tana C., et al. Exercise and immune system as modulators of intestinal microbiome: implications for the gut-muscle axis hypothesis. EIR 25 2019