Microbiota do couro cabeludo: aplique-lhe óleo (de coco)!

Quem é que nunca teve caspa na gola da camisola ou nos ombros da camisa? Esses pequenos flocos particularmente teimosos e inestéticos refletem uma disfunção crónica e bastante generalizada do couro cabeludo. Um estudo recente comprova que o óleo de coco ajuda a manter um couro cabeludo saudável, agindo favoravelmente sobre a respetiva microbiota.

Logo que os sacudimos, eles regressam imediatamente. Quem? Os flocos de caspa, é claro! Afeção cutânea caracterizada por descamação excessiva do couro cabeludo, com ou sem prurido, a caspa resulta de vários fatores: suscetibilidade genética, composição do sebo e microbiota do couro cabeludo. Será um fungo, chamado Malassezia, o responsável por acelerar o desenvolvimento da caspa e da inflamação. Embora eficazes contra este fungo, os antifúngicos não previnem a reaparição da caspa após a interrupção do tratamento. Em países da África e da Ásia, e nomeadamente na Índia, utiliza-se óleo de coco para manter a saúde do couro cabeludo, hidratar a pele e reforçar a função de barreira desta. Neste estudo, os investigadores compararam o impacto da aplicação de óleo de coco, face à de um champô neutro, na microbiota bacteriana e fúngica do couro cabeludo de 140 mulheres com e sem caspa.

Caspa: um fungo específico à cabeça?

No couro cabeludo das mulheres com caspa, descobriram-se populações bastante numerosas de fungos Malassezia. Por outro lado, outra espécie do fungo, M. globosa, colonizava abundantemente o couro cabeludo das mulheres que não apresentavam caspa nem comichão. O tratamento por óleo de coco permitiu aumentar a proporção de M. globosa relativamente aos outros grupos de Malassezia, até se atingir uma relação semelhante à dos couros cabeludos saudáveis.

Óleo de coco para o motor do seu couro cabeludo? 

Embora não se tenham observado quaisquer diferenças significativas entre a microbiota bacteriana do grupo saudável e a do grupo com caspa, o tratamento com óleo de coco permitiu, em ambos os grupos, um aumento das bactérias que participam no metabolismo da biotina. Esta vitamina do complexo B é essencial à manutenção da saúde da pele e do couro cabeludo. É também conhecida por reduzir a inflamação. Serão necessários mais estudos para se compreender os mecanismos subjacentes, mas, para os investigadores, o efeito positivo do óleo de coco na composição e no funcionamento das comunidades microbianas constituirá um primeiro passo no sentido da recuperação a mais longo prazo de um couro cabeludo saudável.

Fontes:

Saxena, R., Mittal, P., Clavaud, C. et al. Longitudinal study of the scalp microbiome suggests coconut oil to enrich healthy scalp commensals. Sci Rep 11, 7220 (2021). https://doi.org/10.1038/s41598-021-86454-1