área para o
público geral
Acesso
a profissionais

Alergias alimentares

As alergias alimentares são um fenómeno constantemente em progressão e permanecem difíceis de tratar. Contudo, novas terapias têm vindo à luz com a descoberta do envolvimento da microbiota. 

Alergias alimentares são uma disfunção no sistema imunitário, que reage de forma anormal imediatamente após a ingestão de um alimento específico. O alimento, normalmente inofensivo para o corpo, é então designado de “alergénio”. Estas alergias afetam 3 % da população em geral e 5 % crianças. 

Muitos alimentos para culpar

Os produtos mais prováveis de desencadear uma alergia alimentar são numerosos e variam de acordo com a idade o com os hábitos alimentares da pessoa. Os websites governamentais atualizam com regularidade a lista de alergénios identificados. As crianças são mais sensíveis aos ovos, amendoins e leite de vaca, enquanto os adultos são mais sensíveis a crustáceos e moluscos, certas frutas e soja.
Em contraste com as intolerâncias alimentares, os sintomas das alergias alimentares aparecem de forma violenta: podem ser digestivos, respiratórios ou cutâneos. Angioedema, ataques de asma e choque anafilático são emergências que podem pôr em causa a vida. 

Desequilíbrio na microbiota

Ainda não foi explicado porque é que certos alimentos causam reações imunitárias inapropriadas. Os estudos rapidamente estabeleceram uma relação entre estes fenómenos alérgicos e uma alteração na microbiota: os doentes alérgicos têm todos uma microbiota diferente comparativamente a indivíduos saudáveis. Observações na microbiota de pessoas afetadas têm mostrado que certas bactérias são responsáveis pelo aparecimento da hipersensibilidade a proteínas alimentares. 

Probióticos como prevenção?

Ainda que o tratamento de primeira linha para alergias alimentares seja remover o alimento em causa, numerosos estudos têm sugerido que modular a microbiota com probióticos e prebióticos pode prevenir o desenvolvimento de alergias. 

 

Fontes:
Allergies alimentaires. https://www.economie.gouv.fr/dgccrf/Publications/Vie-pratique/Fiches-pratiques/Allergene-alimentaire
Thompson-Chagoyan OC, Fallani M, Maldonado J, et al. Faecal microbiota and short-chain fatty acid levels in faeces from infants with cow’s milk protein allergy. Int Arch Allergy Immunol 2011 ; 156 : 325-32.
Ling Z, Li Z, Liu X, et al. Altered fecal microbiota composition associated with food allergy in infants. Appl Environ Microbiol 2014 ; 80 : 2546-54.
Barletta B, Rossi G, Schiavi E, et al. Probiotic VSL#3-induced TGF-beta ameliorates food allergy inflammation in a mouse model of peanut sensitization through the induction of regulatory T cells in the gut mucosa. Mol Nutr Food Res 2013 ; 57 : 2233-44.
Jain S, Yadav H, Sinha PR, et al. Anti-allergic effects of probiotic Dahi through modulation of the gut immune system. Turk J Gastroenterol 2010 ; 21 :244-50.