área para o
público geral
Acesso
a profissionais

Diabetes tipo 2

A diabetes é uma doença crónica relacionado com disfunção na produção ou uso de insulina, a hormona que regula o açúcar no sangue. A microbiota gastrointestinal foi identificada como um dos fatores ambientais responsáveis. 

Em 2015, 415 milhões de pessoas tinham diabetes. De acordo com as previsões da OMS, serão 642 milhões em 2040. Noventa por cento dos casos são diabetes tipo 2. 

Resistência à insulina, a principal causa de diabetes tipo 2

A principal causa de diabetes tipo 2 é o facto das células no corpo perderem a sensibilidade à insulina. Esta resistência à insulina torna a hormona ineficaz e leva a que o pâncreas produza mais até ao ponto de exaustão. Como resultado, o açúcar acumula-se no sangue, levando a hiperglicemia e complicações graves a longo prazo: enfarte do miocárdio, AVC, arterite nos membros inferiores, falência renal e cegueira.

Envolvimento da microbiota intestinal? 

Ainda que haja uma componente genética associada à diabetes tipo 2, o estilo de vida é o maior fator de risco para a doença – especialmente sedentarismo e uma dieta que inclua demasiada gordura e açúcar. Algumas gorduras e açúcares acionam uma resposta inflamatória associada a alterações metabólicas, o que por sua vez aumenta o nível de inflamação. Começa um círculo vicioso, no qual a microbiota gastrointestinal está envolvida porque está desequilibrada. Investigadores demonstraram que a microbiota intestinal está alterada na diabetes e que esta disbiose contribui para a doença.

Melhorias do estilo de vida

Acima de tudo, a diabetes trata-se com modificações do estilo de vida: perda de peso se necessário, atividade física regular e uma dieta equilibrada. É muitas vezes necessário introduzir medicação. 
O papel de certas bactérias intestinais e/ou probióticos na diabetes ainda tem de ser confirmado, mas os seus efeitos benéficos (particularmente no apetite e no açúcar no sangue) abriu um caminho para o desenvolvimento de novos alvos terapêuticos para esta doença, que afeta milhões de pessoas. 

 

Fontes:
IDF Diabetes Atlas http://www.diabetesatlas.org/
Diabète de type 2, Inserm, avril 2014 http://www.inserm.fr/thematiques/physiopathologie-metabolisme-nutrition/dossiers-d-information/diabete-de-type-2-dnid
Jin C, Henao-Mejia J, Flavell RA. Innate immune receptors : key regulators of metabolic disease progression. Cell Metab 2013 ; 17 : 873-82
Cani PD, Amar J, Iglesias MA, et al. Metabolic endotoxemia initiates obesity and insulin resistance. Diabetes 2007 ; 56 : 1761-72
Cani PD, Neyrinck AM, Fava F, et al. Selective increases of bifidobacteria in gut microflora improve high-fat-diet induced diabetes in mice through a mechanism associated with endotoxaemia. Diabetologia 2007 ; 50 : 2374-83.
Backhed F, Ding H, Wang T, et al. The gut microbiota as an environmental factor that regulates fat storage. Proc Natl Acad Sci USA 2004 ; 101 : 15718-23.
Serino M, Luche E, Gres S, et al. Metabolic adaptation to a high-fat diet is associated with a change in the gut microbiota. Gut, BMJ Publishing Group, 2012 ; 61 : 543-53. https://hal.archives-ouvertes.fr/inserm-00726182/document
Turnbaugh PJ, Backhed F, Fulton L, Gordon JI. Diet induced obesity is linked to marked but reversible alterations in the mouse distal gut microbiome. Cell Host Microbe 2008 ; 3 : 213-23.