área para o
público geral
Acesso
a profissionais

Infeções respiratórias de inverno

Constipação, bronquite, inflamação por Streptococcus… é difícil passar o inverno sem ser afetado por pelo menos uma destas infeções respiratórias. Em termos preventivos, a terapêutica probiótica pode estimular as defesas imunitárias. 

As doenças de inverno, que são a maior parte das vezes virais, têm geralmente sintomas semelhantes à gripe (vírus influenza), sendo por isso que são chamadas doenças semelhantes à gripe ou sintomas semelhantes aos da gripe. 

Sintomas semelhantes aos da gripe, muitas vezes confundidos com gripe

Os sintomas semelhantes aos da gripe incluem alguns ou todos os seguintes sintomas: febre > 38.5º C, arrepios, tosse, fadiga, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, pingo no nariz, etc. Apenas análises ao sangue podem confirmar a infeção por vírus influenza.

Sobrecarga do sistema imunitário

As defesas imunitárias intestinas protegem de ataques por agentes patogénicos como bactérias e vírus. Contudo, no inverno, o sistema imunitário é atacado com maior frequência. Passamos mais tempo confinados e os espaços são menos arejados. Como resultado, é transmitida uma maior quantidade de micróbios em circulação (ar expirado, tosse, espirros).

Estudos sobre a terapia probiótica

A natureza viral das infeções respiratórias de inverno exclui imediatamente o uso de antibióticos. O tratamento é sintomático: paracetamol, em conjunto com hidratação e descanso, está na base das prescrições médicas. 
O uso de probióticos tem-se provado eficaz em estudos clínicos das doenças respiratórias de inverno. O uso diário de probióticos por vários meses reduz a febre, o pingo no nariz e a tosse. Leva ainda à redução da prescrição de antibióticos e ao número de dias de doença. 

 

Fontes :
Leyer GJ, Li S, Mubasher ME, Reifer C, Ouwehand AC. Probiotic effects on cold and influenza-like symptom incidence and duration in children. Pediatrics. 2009;124:e172–e179.
Langkamp-Henken B, Rowe CC, Ford AL, et al. Bifidobacterium bifidum R0071 results in a greater proportion of healthy days and a lower percentage of academically stressed students reporting a day of cold/flu: a randomised, double-blind, placebo-controlled study. Br J Nutr. 2015 Feb 14;113(3):426-34.
de Vrese M, Winkler P, Rautenberg P, et al. Probiotic bacteria reduced duration and severity but not the incidence of common cold episodes in a double blind, randomized, controlled trial. Vaccine. 2006;24(44-46):6670-6674.