área para o
público geral
Acesso
a profissionais

A Microbiota Vaginal

Flora vaginal é o nome dado ao conjunto de microrganismos que constituem o sistema ginecológico.
O equilíbrio da microbiota vaginal é muito frágil e perturbá-lo causa infeções, uma razão comum para consultar um médico.

Originalmente descrita, em 1894, com o nome de flora de Döderlein, a microbiota vaginal é um ecossistema composto, entre outras coisas, por mais de 200 espécies de bactérias. As espécies predominantes são lactobacilos, o que torna a vagina ácida. A sua composição e pH variam com o tempo e são influenciados pela genética, origem étnica, gravidez e menopausa assim como por fatores ambientais e comportamentais (contacto sexual, higiene íntima, etc.). A microbiota vaginal desempenha vários papéis, particularmente defendendo do corpo contra a infeção e assegurando um ambiente favorável à gravidez. Várias doenças podem resultar de um desequilíbrio na microbiota vaginal (disbiose) – infeções vaginais, infeções fúngicas, etc. – com sinais característicos: comichão, irritação, odor anormal e corrimento. Entre elas estão, em particular, vaginoses bacterianas, associadas à proliferação de certas estirpes bacterianas, e infeções vaginais por leveduras, com consequências mais gravosas nomeadamente durante a gravidez.

Estudos demonstraram que a administração tópica ou oral de probióticos reequilibra a microbiota vaginal, o que melhora os sintomas ao mesmo tempo que também reduz o risco de reaparecimento. 

 

Fontes:
Mending W. Vaginal Microbiota. in A. Schwiertz (ed.), Microbiota of the Human Body, Advances in Experimental Medicine and Biology 902.

Doenças

Modular a microbiota

Existem 3 maneiras de atuar no equilíbrio de sua microbiota. Cada um deles tem suas especificidades.