Antibióticos: qual o impacto sobre a microbiota intestinal?

Actu GP : Antibiotiques : quels impacts sur le microbiote intestinal ?

Ponto de viragem clínico do século XX, os antibióticos salvaram milhões de vidas. No entanto, a sua utilização excessiva e muitas vezes inadequada levou ao surgimento de um grande número de resistências à sua ação. A OMS tomou a iniciativa, em novembro passado, de lembrar a importância de uma utilização mais racional destes medicamentos*.

 

Entre 2000 e 2015, o consumo de antibióticos aumentou 65%. Embora erradiquem os agentes patogénicos responsáveis pelas infeções, os antibióticos podem também destruir determinadas bactérias benéficas da microbiota intestinal e causar desequilíbrio (disbiose) no seio deste ecossistema, o que pode ter consequências a curto e longo prazo, como nos recorda este novo estudo.

Dos efeitos negativos na microbiota a curto e médio prazo...

Primeira constatação, os antibióticos destroem o equilíbrio existente na microbiota intestinal. Ao eliminarem determinadas bactérias, eles permitem que outros agentes patogénicos ocupem o espaço deixado livre e assim se multipliquem. Uma das consequências é a diarreia associada aos antibióticos, que atinge entre 5 e 35% dos doentes tratados, e que se resolve espontaneamente passados alguns dias. No entanto, algumas diarreias podem atingir maior gravidade e ser mesmo potencialmente mortais, quando causadas pela bactéria Clostridioides difficile. Segunda constatação, a toma de antibióticos está associada a uma redução na diversidade da microbiota, e o retorno ao equilíbrio é mais ou menos longo: algumas bactérias podem mesmo continuar ausentes passados vários meses. Finalmente, a toma repetida ou inadequada de antibióticos leva as bactérias a desenvolverem estratégias para superarem os seus efeitos: elas podem tornar-se resistentes, fazendo com que os tratamentos percam a eficácia. As previsões dos peritos são de arrepiar: sem medidas drásticas contra o recurso abusivo aos antibióticos, estes podem vir a causar 10 milhões de mortes em todo o mundo até 2050.

…às pesadas consequências a longo prazo

Os antibióticos continuam a ser demasiado amplamente utilizados de forma sistémica em crianças de tenra idade e lactentes, e essa utilização pode estar associada ao aparecimento de doenças mais tarde ao longo da vida (obesidade, asma, alergias, doença inflamatória crónica do intestino). Embora a batalha esteja longe de ser ganha, a comunidade científica está empenhada na busca de novas estratégias para restaurar a microbiota intestinal através de múltiplas vias de modulação (dieta, probióticos, prebióticos).

 

* https://www.who.int/news-room/events/detail/2020/11/18/default-calendar/world-antimicrobial-awareness-week-2020

 

Fontes:

Ramirez J, Guarner F, Bustos Fernandez L, et al. Antibiotics as Major Disruptors of Gut Microbiota. Front Cell Infect Microbiol. 2020 Nov 24