Asma e alergias: prova da proteção do “efeito cão”?

Como disse a Brigitte Bardot, “um cão, um gato é um coração com pêlo à volta” ... e bactérias no seu interior, poderíamos acrescentar. Como podemos beneficiar da exposição a animais domésticos desde cedo?

 

De acordo com um crescente número de estudos, certas bactérias poderão ser benéficas para as crianças que vivem com cães e gatos: pensa-se que a exposição numa tenra idade a um ou ao outro amigo de quatro patas fortaleça o sistema imunitário. A esta chama-se de “hipótese da microbiota”, que ainda não é totalmente consensual na comunidade científica. Através da caracterização das alterações induzidas pelo cão no ambiente microbiótico doméstico, um novo estudo fornece dados valiosos para esta teoria e para os amantes de cães.

Um protocolo consistente

Os investigadores americanos recrutaram 27 famílias em vias de adotar um cão e 27 outras famílias que não tinham nenhum cão ou animal doméstico com pêlo. A fase mais crucial do estudo consistiu em colher amostras de poeira alguns dias antes da chegada do cão e, depois, um ano mais tarde, através de um protocolo muito consistente: primeiro, na divisão onde os residentes passavam mais tempo, foi aspirado um retângulo prefabricado de um por dois metros durante dois minutos; depois, o saco do aspitador foi trocado e toda a área circundantes foi aspirada, sem descurar os rodapés, os cantos e a mobília (no topo e por dentro).

O “efeito cão” que continua mal definido

Desde as primeiras semanas nas suas novas casas e até um ano após a chegada, de facto, os cães promoveram o aumento da diversidade e dos níveis de certas espécies no ambiente bacteriano doméstico, incluindo algumas espécies associadas a um menor risco de desenvolvimento de asma e de alergias. Para as crianças, isto significaria estimulação da imunidade, um parâmetro relevante e que deverá ser confirmado por outros estudos. Mas ficam por responder várias outras questões no que respeita ao tal “efeito cão” protetor: que bactérias ou combinações de bactérias estão envolvidas e como é que têm impacto na flora intestinal das crianças? Estas bactérias são provenientes dos cães ou do ambiente exterior, como as bactérias que “apanham boleia” no pêlo do cão? Que tipo de pêlo – e consequentemente de raça – deverá ser privilegiado? Ainda será necessário aspirar mais poeira para clarificar estas questões.
Os donos de gatos podem ter uma certeza: também já foi observado um “efeito gato” positivo noutros estudos. Por isso, adotem… 

 

Fontes:

AR Sitarik et al. Dog introduction alters the home dust microbiota. Indoor Air 2018; Feb 22