Descubra as microbiotas

Sabia que no seu corpo tem biliões de (sidenote: Microrganismos Organismos vivos que são demasiado pequenos para serem vistos a olho nu. Incluem as bactérias, os vírus, os fungos, as arqueias, os protozoários, etc., e são vulgarmente designados "micróbios". What is microbiology? Microbiology Society. ) , incluindo bactérias, vírus e fungos1?

A microbiota humana desempenha um papel fundamental na sua saúde: uma microbiota equilibrada contribui para a nossa boa saúde.
Já deve ter ouvido falar da microbiota intestinal ou "flora intestinal", que é a mais popular.

Mas sabia que existem outras microbiotas que vivem no seu corpo? Na sua pele2, no seu trato urinário3, na sua vagina4, na sua boca5, nos seus ouvidos6...

Saiba mais sobre cada uma destas microbiotas!

en_view en_sources

    6 microbiotas descritas nesta página

    biliões estima-se que a microbiota humana tenha biliões de microrganismos

    O que é a microbiota?

    A microbiota humana corresponde a todos os microrganismos que colonizaram seu corpo e com os quais você vive: bactérias em grande parte, mas também vírus, fungos, leveduras e protozoários. Sua composição difere de acordo com as superfícies colonizadas: uma assim distingue a microbiota cutânea, a microbiota vaginal, a microbiota urinária, a microbiota respiratória, a microbiota ORL e a microbiota intestinal, anteriormente denominada flora intestinal, de longe a mais importante com seus 100.000 bilhões de germes.

    Aprofundar

    Quais são as microbiotas do nosso corpo?

    Temos triliões7de bactérias que povoam o nosso intestino, com poderes fascinantes para o corpo humano. Vamos perceber como funciona a nossa microbiota intestinal e porque temos de cuidar dela!

    O essencial

    Há centenas de bactérias que povoam a vagina.4 Vejamos como funcionam e porque devemos cuidar da nossa microbiota!

    O essencial

    • A microbiota vaginal encontra-se equilibrada quando sua diversidade é reduzida.4
    • Todas as mulheres têm uma microbiota vaginal, mas a microbiota vaginal difere de mulher para mulher.
    • O corpo evolui ao longo da vida, e a microbiota vaginal faz o mesmo!
    • É essencial cuidar da microbiota vaginal. A higiene íntima diária é crucial para prevenir a (sidenote: Disbiose A "disbiose" não é um fenómeno homogéneo – varia em função do estado de saúde de cada indivíduo. É geralmente definida como uma alteração da composição e do funcionamento da microbiota, causada por um conjunto de fatores ambientais e relacionados com o indivíduo que perturbam o ecossistema microbiano. Levy M, Kolodziejczyk AA, Thaiss CA, et al. Dysbiosis and the immune system. Nat Rev Immunol. 2017;17(4):219-232. ) .

    A microbiota cutânea é um ecossistema muito complexo, composto por um conjunto de (sidenote: Microrganismos Organismos vivos que são demasiado pequenos para serem vistos a olho nu. Incluem as bactérias, os vírus, os fungos, as arqueias, os protozoários, etc., e são vulgarmente designados "micróbios". What is microbiology? Microbiology Society. ) vivos (bactérias, fungos, vírus e parasitas), que contribuem para a marca olfativa única da pele humana. 

    O essencial

    • A pele atua como uma barreira protetora tripla.4,12
    • A microbiota cutânea é relativamente estável ao longo do tempo4,13 e apenas se altera nas principais etapas da vida.
    • Desempenha também um papel fundamental na imunidade: estimula os mecanismos de defesa imunitária da epiderme e do corpo em geral, e abranda a inflamação quando necessário.14
    • A (sidenote: Disbiose A "disbiose" não é um fenómeno homogéneo – varia em função do estado de saúde de cada indivíduo. É geralmente definida como uma alteração da composição e do funcionamento da microbiota, causada por um conjunto de fatores ambientais e relacionados com o indivíduo que perturbam o ecossistema microbiano. Levy M, Kolodziejczyk AA, Thaiss CA, et al. Dysbiosis and the immune system. Nat Rev Immunol. 2017;17(4):219-232. ) é frequentemente associada a afeções patológicas da pele, como o acne15, a dermatite atópica16, a psoríase17, a dermatite seborreica18, a rosácea19 ou o cancro da pele20.

    Acreditou-se outrora que pulmões saudáveis não continham microrganismos. Isso tem sido posto em causa desde a recente descoberta da microbiota pulmonar.

    O essencial

    • A composição da microbiota pulmonar é moldada primeiramente pelo ambiente.
    • São vários os fatores que podem diminuir a diversidade bacteriana e levar a desequilíbrios na microbiota respiratória.

    O trato urinário humano é habitado por inúmeros (sidenote: Microrganismos Organismos vivos que são demasiado pequenos para serem vistos a olho nu. Incluem as bactérias, os vírus, os fungos, as arqueias, os protozoários, etc., e são vulgarmente designados "micróbios". What is microbiology? Microbiology Society. ) que podem desempenhar um papel protetor para a nossa saúde.21 Uma diversidade reduzida na flora urinária pode constituir também um fator de risco de doenças.22 De facto, já se pensou que a urina era estéril, mas estudos científicos recentes demonstraram o contrário.22

    O essencial

    A microbiota ORL (otorrinolaringológica) é composta por três tipos diferentes de flora bacteriana: a microbiota oral, a microbiota auricular e a microbiota nasofaríngea.

    O essencial

    • A microbiota oral junta mais de 700 espécies bacterianas, que contribuem para a saúde oral.
    • No canal auditivo, a composição da microbiota auricular é muito aproximada à da pele.
    • Ainda que próxima da microbiota oral, a microbiota nasofaríngea, que cobre a vias áreas e a faringe, é composta por germes muito diferentes.
    Fontes
    1. Kho ZY, Lal SK. The Human Gut Microbiome - A Potential Controller of Wellness and Disease. Front Microbiol. 2018 Aug 14;9:1835
    2. Bay L, Barnes CJ, Fritz BG, et al. Universal Dermal Microbiome in Human Skin. mBio. 2020 Feb 11;11(1):e02945-19.
    3. Neugent ML, Hulyalkar NV, Nguyen VH, et al. Advances in Understanding the Human Urinary Microbiome and Its Potential Role in Urinary Tract Infection. mBio. 2020 Apr 28;11(2):e00218-20.
    4. Greenbaum S, Greenbaum G, Moran-Gilad J, et al. Ecological dynamics of the vaginal microbiome in relation to health and disease. Am J Obstet Gynecol. 2019 Apr;220(4):324-335.
    5. Radaic A, Kapila YL. The oralome and its dysbiosis: New insights into oral microbiome-host interactions. Comput Struct Biotechnol J. 2021 Feb 27;19:1335-1360.
    6. Xu Q, Gill S, Xu L, et al. Comparative Analysis of Microbiome in Nasopharynx and Middle Ear in Young Children With Acute Otitis Media. Front Genet. 2019;10:1176.
    7. Ley RE, Peterson DA, Gordon JI. Ecological and evolutionary forces shaping microbial diversity in the human intestine. Cell. 2006 Feb 24;124(4):837-48.
    8. McFarland LV. Antibiotic-associated Diarrhea: Epidemiology, Trends and Treatment. Future Microbiol. 2008 Oct;3(5):563-78.
    9. Perceval C, Szajewska H, Indrio F, et al. Prophylactic use of probiotics for gastrointestinal disorders in children. Lancet Child Adolesc Health. 2019 Sep;3(9):655-662
    10. Stuempfig ND, Seroy J. Viral Gastroenteritis. [Updated 2020 Nov 19]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan-
    11. Oka P, Parr H, Barberio B, et al. Global prevalence of irritable bowel syndrome according to Rome III or IV criteria: a systematic review and meta-analysis. Lancet Gastroenterol Hepatol. 2020 Oct;5(10):908-917
    12. Petrova MI, Lievens E, Malik S, Imholz N and Lebeer S (2015) Lactobacillus species as biomarkers and agents that can promote various aspects of vaginal health. Front. Physiol. 6:81.
    13. Reid G, Bruce AW, Fraser N, Heinemann C, Owen J, Henning B. Oral probiotics can resolve urogenital infections. FEMS Immunol Med Microbiol 2001;30: 49–52.
    14. Petricevic L, Domig KJ, Nierscher FJ, et al. Characterisation of the oral, vaginal and rectal Lactobacillus flora in healthy pregnant and postmenopausal women. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol 2012;160:93–9.
    15. Gupta P, Singh MP, Goyal K. Diversity of Vaginal Microbiome in Pregnancy: Deciphering the Obscurity. Front Public Health. 2020 Jul 24;8:326.
    16. Petrova MI, van den Broek M, Balzarini J, Vanderleyden J, Lebeer S. Vaginal microbiota and its role in HIV transmission and infection. FEMS Microbiol Rev. 2013;37(5):762-792.
    17. Younes JA, Lievens E, Hummelen R, van der Westen R, Reid G, Petrova MI. Women and Their Microbes: The Unexpected Friendship. Trends Microbiol. 2018 Jan;26(1):16-32.
    18. Kovachev S. Defence factors of vaginal lactobacilli. Crit Rev Microbiol. 2018 Feb;44(1):31-39.
    19. Riepl M. Compounding to Prevent and Treat Dysbiosis of the Human Vaginal Microbiome. Int J Pharm Compd. 2018 Nov-Dec;22(6):456-465.
    20. Torcia MG. Interplay among Vaginal Microbiome, Immune Response and Sexually Transmitted Viral Infections. Int J Mol Sci. 2019;20(2):266.
    21. Whiteside SA, Razvi H, Dave S, et al. The microbiome of the urinary tract--a role beyond infection. Nat Rev Urol. 2015 Feb;12(2):81-90.
    22. Morand A, Cornu F, Dufour JC, et al. Human Bacterial Repertoire of the Urinary Tract: a Potential Paradigm Shift. J Clin Microbiol. 2019 Feb 27;57(3).
    23. Lewis DA, Brown R, Williams J, et al. The human urinary microbiome; bacterial DNA in voided urine of asymptomatic adults. Front Cell Infect Microbiol. 2013 Aug 15;3:41.
    24. Aragón IM, Herrera-Imbroda B, Queipo-Ortuño MI, et al. The Urinary Tract Microbiome in Health and Disease. Eur Urol Focus. 2018 Jan;4(1):128-138.
    25. Antunes-Lopes T, Vale L, Coelho AM, et al. The Role of Urinary Microbiota in Lower Urinary Tract Dysfunction: A Systematic Review. Eur Urol Focus. 2020 Mar 15;6(2):361-369.