Cistite

A cistite é a inflamação da bexiga, mais comummente causada por infeções urinárias. A bactéria Escherichia coli, vinda do intestino, é a causa principal. As mulheres são mais afetadas que os homens. 

Publicado em 17 Setembro 2021
Atualizado em 08 Novembro 2021

Sobre este artigo

Publicado em 17 Setembro 2021
Atualizado em 08 Novembro 2021

As cistites afetam 30 % das mulheres pelo menos uma vez na vida, com um pico de frequência entre os 20 e os 30 anos. É 50 vezes mais comum nas mulheres do que nos homens. Os sintomas incluem uma sensação de ardor ao urinar, a urgência urinária e uma urina baça e com um cheiro desagradável. É simples de tratar, mas bastante recorrente. 

Mulheres mais afetadas

Alguns fatores fazem com que as mulheres sejam mais afetadas: menor comprimento da uretra, contacto sexual, uso de cateteres, incontinência urinária, menopausa e gravidez. Anomalias anatómicas e diabetes são também fatores de risco. Higiene íntima em demasia ou falta dela estão também implicadas no aparecimento da cistite. 

Uma origem intestinal

Em 90 % dos casos, a cistite é causada pela bactéria Escherichia coli. Esta bactéria está naturalmente presente na microbiota intestinal. Pode penetrar na uretra, viajar até à bexiga e multiplicar-se lá. 

Tratamento padronizado

O tratamento mais normal e eficaz para a cistite são os antibióticos. Contudo, o reaparecimento é comum. Algumas medidas podem preveni-la (beber água, higiene, etc.). Os estudos demonstraram os benéficos de tomar probióticos, como certos lactobacilos. É de notar que o arando-vermelho, uma baga,  pode desempenhar um papel na prevenção do reaparecimento das cistites, mas o seu efeito ainda não foi claramente demonstrado. 

en_view en_sources