Dermatite atópica: a microbiota da pele tem cúmplice!

Embora já não existam dúvidas quanto à relação entre a microbiota da pele e a dermatite atópica, para a questão do envolvimento da microbiota nasal ainda não havia, até agora, respostas. Há um novo estudo que põe fim à incerteza!

Publicado em 09 Fevereiro 2021
Atualizado em 27 Outubro 2021
Photo : Atopic dermatitis: nasal and skin microbiomes associated with disease severity

Sobre este artigo

Publicado em 09 Fevereiro 2021
Atualizado em 27 Outubro 2021

A dermatite atópica (ou eczema atópico) é uma doença inflamatória crónica da pele que se manifesta muito precocemente na infância sob a forma de erupções cutâneas eczematosas recidivantes, a qual, no entanto, desaparece na maioria dos casos durante a adolescência. Foram associadas a esta doença e à gravidade da mesma determinadas alterações no seio da microbiota cutânea, constatando-se um excesso de Staphylococcus aureus e de S. epidermidis na zona das lesões, e uma quantidade menor de estreptococos durante os episódios inflamatórios. Suspeita-se também que a microbiota nasal serve de reservatório bacteriano e alimenta a autocontaminação entre a pele e o nariz, mas há poucos dados que permitam sustentar esta hipótese.

Nariz e pele: dois microbiotas interligados?

Um grupo de investigadores analisou amostras colhidas do nariz e da pele afetada de crianças com dermatite atópica. Enquanto as lesões da pele se encontravam colonizadas quase exclusivamente por estafilococos, estas espécies estavam longe de ser maioritárias na microbiota nasal, mais diversificada e dominada por outras bactérias (Moraxella, Corynebacterium, Dolosigranulum). Essas composições diferentes não servirão de impedimento à interação entre a microbiota nasal e a da pele, conforme sugere a associação estatística entre as espécies bacterianas das vias nasais e as presentes na pele, sem que os respetivos mecanismos sejam conhecidos.

Duas microbiotas associadas à gravidade

Por outro lado, tanto a composição da microbiota nasal como, ainda mais nitidamente, a da cutânea, manifestaram-se ambas associadas à severidade da doença. Essa relação entre as microbiotas e a gravidade constatou-se especificamente através da presença de estafilococos oriundos das microbiotas cutânea e nasal, mas também relativamente a outras espécies, como Moraxella no nariz. Estes resultados sugerem que as microbiotas da pele e do nariz poderão potencialmente desempenhar determinado papel no aumento da inflamação da dermatite atópica, concluem os autores. Incitam, além disso, a que a investigação prossiga no sentido de se identificar com maior precisão as espécies e as várias microbiotas envolvidas na doença.

Old sources

Fontes:

Totté JEE, Pardo LM, Fieten KB et al. Nasal and skin microbiomes are associated with disease severity in paediatric atopic dermatitis. Br J Dermatol. 2019 Oct;181(4):796-804.

en_view en_sources

    Leia também