Hipertensão: Uma pitada a menos de sal pode trazer benefícios para a microbiota

Uma pitada a menos de sal pode ser suficiente para alterar a microbiota intestinal de mulheres hipertensas. Suas bactérias podem aumentar a produção de ácidos gordos benéficos, que, uma vez na corrente sanguínea, podem diminuir a pressão sanguínea e a rigidez arterial.

Publicado em 21 Outubro 2020
Atualizado em 21 Dezembro 2021
Actu GP : Hypertension : quand le microbiote met son grain de sel

Sobre este artigo

Publicado em 21 Outubro 2020
Atualizado em 21 Dezembro 2021

Pessoas com hipertensão sabem que têm um risco maior de derrames, ataques cardíacos e insuficiência cardíaca; devem ser cautelosos quanto à sua dieta e especialmente à ingestão de sal. Porque sal e hipertensão não são uma boa combinação. Com base em estudos realizados com ratos, o mecanismo que conecta os dois pode ser encontrado no nosso intestino. Além disso, como toda a nossa dieta tem impacto sobre a nossa microbiota, por que não o sal?

Microbiota sensível ao sal

Pesquisadores britânicos questionam-se se uma dieta rica em sal poderia modular nossa microbiota intestinal. A investigação conduzida em 145 hipertensos não tratados parece provar que estavam certos: uma diminuição na ingestão de sal, mesmo modesta, teve impacto nos tipos de bactérias que vivem nos intestinos. A microbiota intestinal alterada produziu mais (sidenote: Ácidos gordos de cadeia curta (AGCC) Os ácidos gordos de cadeia curta são uma fonte de energia (carburante) das células do indivíduo, interagem com o sistema imunitário e estão envolvidos na comunicação entre o intestino e o cérebro.   Silva YP, Bernardi A, Frozza RL. The Role of Short-Chain Fatty Acids From Gut Microbiota in Gut-Brain Communication. Front Endocrinol (Lausanne). 2020;11:25. ) , que são substâncias que entram na corrente sanguínea e ativam os receptores vasculares. Isso é muito benéfico para indivíduos hipertensos: o aumento de AGCC circulando na corrente sanguínea parece estar diretamente correlacionado com uma diminuição na pressão sanguínea e na velocidade de onda do pulso, que é usada para medir a rigidez arterial. Esse efeito benéfico pode estar relacionado às propriedades antiinflamatórias atribuídas a esses ácidos gordos de origem bacteriana.

Somente em mulheres hipertensas

Outra descoberta do estudo é que os mecanismos subjacentes parecem ser diferentes entre homens e mulheres. Num exame mais detalhado, a mudança nos AGCCs no sangue resultante de uma dieta com baixo teor de sal foi comprovada apenas em mulheres, e ainda não está claro porquê. Em qualquer caso, devemo-nos certificar de usar pouco sal na cozinha, especialmente se há alguém com tensão alta (homem ou mulher). O consumo de sal continua muito alto em todo o mundo e é recomendado reduzir a ingestão de sal, especialmente para quem tem hipertensão.

*AGCC: pequenas moléculas produzidas pelas bactérias do colon através da fermentação de fibras indigeríveis. Têm vários efeitos benéficos na saúde.

Old sources

Sources :

Chen L, He FJ, Dong Y, Huang Y, Wand C et al. Modest Sodium Reduction Increases Circulating Short-Chain Fatty Acids in Untreated Hypertensives - A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Trial. Hypertension. 2020;76:73–79. WHO. Salt reduction. 29 April 2020. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/salt-reduction

en_view en_sources

    Leia também