Mães não separem o bebé do vosso animal de estimação: pode prevenir o vosso bebé de sofrer de alergias e tornar-se obeso!

Por modularem a composição da microbiota intestinal dos recém-nascidos, os animais de estimação reduzem o risco de desenvolvimento de alergias ou obesidade na idade adulta.

 

Esta foi a conclusão surpreendente a que chegaram investigadores Canadianos que examinaram 746 recém-nascidos. O seu estudo, publicado na revista Microbiome, demonstra que a exposição pré e/ou pós-natal a animais peludos aumenta a presença da bactéria Oscillospira Ruminococcus na microbiota dos bebés, a qual reduz o risco de obesidade e alergias.

Durante a gravidez, estar rodeada de animais de estimação também poderá ser vantajoso: a presença de streptococci estará diminuída, reduzindo o risco de infeção por Streptococcus B. Estes animais de estimação enriquecem a microbiota do futuro bebé e, consequentemente, reduzem a sua propensão para doenças atópicas e metabólicas.
A presença de animais de estimação durante a gravidez ou após o nascimento do bebé em casa requer algumas precauções, mas não é necessário separarem-se do vosso animal de estimação.

 

Fontes:

Microbiome, April 2017 DOI: 10.1186/s40168-017-0254- Exposure to household furry pets influences the gut microbiota of infant at 3–4 months following various birth scenarios https://microbiomejournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s40168-017-0254-x