A microbiota intestinal está relacionada com a síndrome metabólica

Actu syndrome metabolique

A síndrome metabólica consiste num conjunto de fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e diabetes: perímetro abdominal aumentado, hipertrigliceridemia, níveis baixos de colesterol HDL, pressão sanguínea aumentada e glicose no sangue em jejum aumentada. As alterações na microbiota intestinal já foram associadas a doenças metabólicas, em particular à obesidade e diabetes tipo 2, mas os mecanismos ainda são pouco conhecidos.

Já foram recolhidos dados importantes de estudos em ratos que demonstraram que, nas doenças metabólicas, as bactérias da microbiota intestinal têm a capacidade de penetrar a camada mucosa que reveste a parede digestiva, provocando a inflamação crónica que está na génese das doenças metabólicas. Os autores de um estudo recente observaram o mesmo fenómeno em pacientes com distúrbios do açúcar no sangue: descobriram que, em doentes diabéticos, as bactérias intestinais conseguiam penetrar a camada mucosa habitualmente estéril.

Além disso, a distância entre as bactérias da microbiota intestinal e a parede do cólon era inversamente proporcional à severidade da diabetes tipo 2. Ao confirmar os resultados primeiramente obtidos em estudos em animais, esta descoberta abre um novo espaço para a investigação do papel que o posicionamento da microbiota intestinal desempenha na diabetes tipo 2.

 

Fontes:
Benoit Chassaing et al. Colonic Microbiota Encroachment Correlates With Dysglycemia in Humans. Cellular and Molecular Gastroenterology and Hepatology. 7 June 2017. 

http://www.cmghjournal.org/article/S2352-345X(17)30075 9/fulltext 

http://www.cmghjournal.org/article/S2352-345X(17)30075-9/pdf