O défice de atenção está associado ao desiquilíbrio da microbiota intestinal

Actu GP Le trouble de déficit de l’attention associé à une altération du microbiote intestinal

De acordo com um estudo Chinês que refere a hipótese de os microrganismos intestinais desempenharem um papel nas doenças psiquiátricas, o desequilíbrio da microbiota intestinal pode estar relacionado com o desenvolvimento do défice de atenção com ou sem hiperatividade (PHDA).

 

O défice de atenção com ou sem hiperatividade (PHDA) é um distúrbio do neurodesenvolvimento que se manifesta na infância. As suas causas são ainda pouco compreendidas, mas suspeita-se que possam relacionar-se com fatores de risco ambientais, como a exposição in utero a antibióticos ou o parto por cesariana: em ambas as situações o desenvolvimento inicial da microbiota intestinal é comprometido. No entanto, para já, nenhum estudo alguma vez relacionou o PHDA com a composição da microbiota intestinal, cujo papel em certas doenças psiquiátricas (esquizofrenia, distúrbio bipolar, depressão) já foi demonstrado.

Uma microbiota intestinal diferente

Os investigadores Chineses tentaram determinar se a microbiota intestinal de doentes com PHDA seria diferente da dos indivíduos que não sofressem deste distúrbio e se as diferenças estariam associadas aos sintomas da doença. Foram colhidas amostras de fezes de 83 crianças (51 com PHDA e 32 controlo) para comparação da microbiota intestinal. Embora não tenham sido observadas diferenças no âmbito da diversidade microbiótica, os investigadores observaram que três géneros bacterianos – incluindo o Faecalibacterium – eram mais abundantes em crianças diagnosticadas com PHDA do que nas crianças do controlo.
Uma investigação mais detalhada e com base em informação reportada pelos pais das crianças permitiu concluir que quanto mais baixo o nível de Faecalibacterium na microbiota intestinal, mais pronunciados eram os sintomas da doença.

Será o Faecalibacterium um novo marcador da PH

Os resultados desta investigação somam-se aos de outros estudos que já estabeleceram uma associação entre baixos níveis de Faecalibacterium e vários distúrbios psiquiátricos (depressão, distúrbio bipolar), bem como aos resultados de estudos direcionados à população adulta com PHDA, que se pensa ter um nível aumentado de certas bactérias. Os autores consideram que este novo estudo confirma o papel da microbiota intestinal no desenvolvimento de distúrbios psiquiátricos. O Faecalibacterium, em particular, poderá ser um novo marcador da PHDA caso a sua associação à doença seja confirmada. 

 

Fontes:

Jiang et al. Gut microbiota profiles in treatment-naïve children with attention deficit hyperactivity disorder. Behavioural Brain Research 347 (2018) 408–413